Transmito o que tenho para mim

As flores o céu a lua o mar tudo é inspiração para que um poeta descreva sua natureza própria, tudo faz parte de um todo romântico afirmam que tem algo a ver com sentimentalismo, saber que uma planta nasce e caiem suas folhas e flores para renascer mais jovem e bela, não há envelhecimento para tal, não se vê uma flor velha e sendo bem tratada e regada dificilmente morrerá igual ao amor que nasce no coração e sendo bem correspondido é difícil de acabar, somente no fim da vida e assim mesmo fica marcado na memória que existiu aquele amor puro e verdadeiro

A minha inspiração sempre foi coisas românticas e tudo que envolve a que escrevo trago meu sentimentalismo profundo, mesmo não sabendo o que vai sair, porque às vezes eu penso de uma determinada maneira e escrevo outro totalmente de que eu já tinha planejado, é um mistério da mente e quem não é assim? Difícil um poeta que pensou uma coisa e na hora de escrever sair a mesminha que foi pensado, minha paixão é como um rio que faz os peixes ter uma convivência boa e maravilhosa, profundamente e com boa alimentação, o que alimenta minha paixão é minha esperança de que se não for feliz, pelo menos tenho minha vida pra viver e estando vivo posso correr atrás da felicidade sem medo de encontrá-la e vive-la de uma maneira que ninguém há de tirar de mim

Faço pra mim mesmo para que eu possa dar o Máximo do que reservo pra mim sem me sentir bem não tem como passar amor, paixão e emoção a quem me rodeia, por isso vivo de bem comigo mesmo e consigo transmitir isso, não esquecendo de que a minha felicidade é mais importante do que tudo na vida, assim eu posso fazer com que as pessoas sintam o que eu sinto e o que tenho a oferecer.

Por Márcio Ferreira

Compartilhar:
← Anterior Proxima → Inicio

Seguidores

Google+ seguidores

Total de visualizações

Mario Quintana

O TRÁGICO DILEMA: Quando alguém pergunta a um autor o que este quis dizer, é porque um dos dois é burro.

AMAR: Fechei os olhos para não te ver e a minha boca para não dizer... E dos meus olhos fechados desceram lágrimas que não enxuguei, e da minha boca fechada nasceram sussurros e palavras mudas que te dediquei... O amor é quando a gente mora um no outro.

BILHETE: Se tu me amas, ama-me baixinho Não o grites de cima dos telhados Deixa em paz os passarinhos Deixa em paz a mim! Se me queres, enfim, tem de ser bem devagarinho, Amada, que a vida é breve, e o amor mais breve ainda...

Por Mario Quintana

Veja outros autores em: Pensador.Info

VEM DO CORAÇÃO

Há um sentimento para contemplar, como encontrar palavras que expressa o sentimento continuo e duradouro, somente os gestos, olhares, carinhos e até mesmo o silêncio poderá explicar o que sinto, para quem corresponde será um bom entendedor.

Márcio Ferreira

Tecnologia do Blogger.

Postagens populares

email newsletter