Twitter

26 de dez de 2008

Quem Sabe Derrepente


Amar é querer o que nos pode ser oferecido
Mesmo que sufoquemos no peito a magia do amor
Mesmo que sorria ,quando o que sentimos é dor
A dor da ausência
A dor de não poder abraçar,
Só querer ,desejar sonhar
Sonhar com um beijo louco
Um abraço ardente
Quem sabe derrepente...
Sonho vire realidade
Então te terei nos braços de verdade
E te amarei como ama os loucos
Sem medo
Sem limite
Sem fronteiras
Sem amanhã
Viveria só o hoje
Sem dia
Sem noite
Doce arrepio na nuca
Realização de desejos ardentes
Seria tua
Em uma noite apenas
Seria tua pequena
Assim mim farias mulher

Sandra Paula 25/12/2008
Related Posts with Thumbnails

  © By Poesia - Todos os direitos reservados.

Tecnologia - Blogger | Modificado por - Márcio Ferreira