O tempo cura, a paciência ensina

Ilustração

Batidas do meu coração é o tempo
Tentando esquecer as amarguras que me pegaram
Você não se importa com o meu sentimento
E eu fico aqui nessa solidão na qual você me deixou
Por amar de mais recebi esse castigo que me abalou
Ou talvez seja um aprendizado para eu não me entregar assim
A dor é profunda...

Conseqüência de eu ter acreditado que poderia ser feliz te amando
Mas você sabe que eu sou o único que sente esse amor por ti
Em lugar algum você encontrará uma pessoa que te amará
Com a mesma intensidade que eu amo
Por que dentro de mim é verdadeiro e grandioso
Mesmo com todo esse amor que lhe ofereço
Com tudo que meu coração pode te dar
Você só fez ignorar e hoje eu estou sofrendo

Esse sentimento que você mal correspondeu
Para falar a verdade nunca foi correspondido
Apenas brincou com que é verdadeiro
Só escuto as batidas do meu coração ferido
Está ofuscado de tanto que eu choro
Mas eu posso e devo te esquecer
Quando isso acontecer voltarei a sorrir

Não cometerei o mesmo erro
Não vou conseguir amar outra pessoa da mesma forma
Por que o amor é único e ele eu já perdi
Para curar as minhas feridas vou dar um tempo pra mim
Tenho que pensar só em mim para me recuperar dessa desilusão
Tenho a certeza que você vai enxergar a realidade
E perceber a besteira que fez me deixando

Com isso vai ser tarde de mais eu já te esqueci
Só espero que você suporte o quanto estou suportando
Foi bom o quanto durou...
Agora só tem os pedaços que precisa ser reconstruído
Mesmo eu te amando se você voltar a trás não adianta
Não quero passar pelo que eu já passei
Por medo de acreditar e você me deixar novamente

Agora já não tenho esperanças
Foi tudo se esgotando com o sofrimento
E te amar nessa dor não está fazendo bem pra mim
O amor não é para brincar
Ele é para sentir como eu sinto
Mas essa ferida um dia cicatrizará
E voltarei a viver por amor próprio.

Por Márcio Ferreira

Compartilhar:
← Anterior Proxima → Inicio

Seguidores

Google+ seguidores

Total de visualizações

Mario Quintana

O TRÁGICO DILEMA: Quando alguém pergunta a um autor o que este quis dizer, é porque um dos dois é burro.

AMAR: Fechei os olhos para não te ver e a minha boca para não dizer... E dos meus olhos fechados desceram lágrimas que não enxuguei, e da minha boca fechada nasceram sussurros e palavras mudas que te dediquei... O amor é quando a gente mora um no outro.

BILHETE: Se tu me amas, ama-me baixinho Não o grites de cima dos telhados Deixa em paz os passarinhos Deixa em paz a mim! Se me queres, enfim, tem de ser bem devagarinho, Amada, que a vida é breve, e o amor mais breve ainda...

Por Mario Quintana

Veja outros autores em: Pensador.Info

VEM DO CORAÇÃO

Há um sentimento para contemplar, como encontrar palavras que expressa o sentimento continuo e duradouro, somente os gestos, olhares, carinhos e até mesmo o silêncio poderá explicar o que sinto, para quem corresponde será um bom entendedor.

Márcio Ferreira

Tecnologia do Blogger.

Postagens populares

email newsletter