Twitter

16 de dez de 2008

O meu desatino

desatino

Sem querer eu consegui te perder e não consegui mais te encontrar
Ai veio os momentos de solidão para completar essa exatidão
É tão rigoroso em meu coração que me perco em choros
É de suar de desespero e mais forte que tudo na minha vida
É esse amor, sou fraco e não posso lutar, pois já foi o que me restava
Existia um pouco de esperança e como um vendaval
Foi levada de mim essa esperança que eu ainda tinha

Momentos de solidão e como já disse me vêem perdidos repetidos
E nada de cura, poderia você se importar com que eu sinto
Poderia ser mais fácil com seu amor em mim
Com seu corpo me pedindo mais e suas caricias me envolvendo
Fazendo com que eu compartilhasse tudo que você fizesse por mim
Devolvendo aquela coisa louca que a paixão proporciona
É coisa de pele, desejo sem fim e não conseguimos nos saciar
Essa sede incontrolável que nos pega na hora do amor
Mas nada disso você quis e simplesmente me deixou aos prantos

Ingratidão é a pior coisa que um coração apaixonado poderia ter
É ilusão saber que tudo não passou por capricho
Faz-me mal saber que você não quis o melhor de mim
Deixa-me pequeno perante esse amor grandioso que sinto
Ah! Nada me fará pensar em outra coisa, além do que a gente
Poderia passar, digo das coisas maravilhosas que poderíamos
Viver de tudo que é bom e do melhor conteúdo que a paixão poderia
Dar-nos, mas infelizmente você não quis.

Por Márcio Poeta

Related Posts with Thumbnails

  © By Poesia - Todos os direitos reservados.

Tecnologia - Blogger | Modificado por - Márcio Ferreira