O que restou de nós dois


Lembranças minhas
O teu coração aventureiro
Não registrou
O que restou de você eu sei
Porque você
É tudo que restou de nós dois
Ainda quardo
O gosto
Gostoso do seu ultimo beijo
No meu corpo
Um tanto fraco as marcas
De quando por amor saciava meus desejos
Você se ausentou
Temendo ver o pouco
Que iria restar de mim
Nada fui pra você
Ao extremo eu cheguei
Te levei sobrei pobre de mim
Rezo para que em seu
Rosto sempre habite esta alegria
O passado marca mata
As lembranças de tudo
Me fazem feliz, me fazem sofrer
Sei que nada
Fui em seu viver
Na tentativa de me encontrar
Sinto meu coração
Batendo descompassado
Pedindo para morrer.
 
Por Marcio Poeta.
Compartilhar:
← Anterior Proxima → Inicio

Seguidores

Google+ seguidores

Total de visualizações

Mario Quintana

O TRÁGICO DILEMA: Quando alguém pergunta a um autor o que este quis dizer, é porque um dos dois é burro.

AMAR: Fechei os olhos para não te ver e a minha boca para não dizer... E dos meus olhos fechados desceram lágrimas que não enxuguei, e da minha boca fechada nasceram sussurros e palavras mudas que te dediquei... O amor é quando a gente mora um no outro.

BILHETE: Se tu me amas, ama-me baixinho Não o grites de cima dos telhados Deixa em paz os passarinhos Deixa em paz a mim! Se me queres, enfim, tem de ser bem devagarinho, Amada, que a vida é breve, e o amor mais breve ainda...

Por Mario Quintana

Veja outros autores em: Pensador.Info

VEM DO CORAÇÃO

Há um sentimento para contemplar, como encontrar palavras que expressa o sentimento continuo e duradouro, somente os gestos, olhares, carinhos e até mesmo o silêncio poderá explicar o que sinto, para quem corresponde será um bom entendedor.

Márcio Ferreira

Tecnologia do Blogger.

Postagens populares

email newsletter