Twitter

2 de abr de 2009

Nada haver

vazio

O afago mesmo sentindo da forma em que tem para se distrair na ilusão dos meus pensamentos, é hilário e retrospectivo somente na imaginação do que é ou pode ser. Ah! Sabe de uma coisa, pode ser é meio que tem um fundo de que a chance de não acontecer é real, nossa! Real? Nossa, é bem estranho pensar retrospectivamente. Deve ser contraditório imaginar o que nunca foi e fazer o que nunca fez dizendo que fez! Estranho é pensar que não vai acontecer e dizer que pode acontecer estranho é, saber que nunca acontecerá e dar uma chance de que pense que vá acontecer, tortura da mente descontrolada com a dúvida e a incerteza do momentâneo julgamento das suas próprias atitudes e desejos, estranho é passa por cima dos seus problemas e nem olhar a solução, fugir do que você poderia resolver de novo a palavra “poderia”, é estranho escrever pensando em uma coisa e deixar levar outra em palavras que não deveriam sair. Estranho é amar e nunca olhar seu sofrimento quando nada pode ser feito para que de certo. Amor? Acho contraditório o amor que a pessoa diz que ama e nunca faz nada para que se concretize o matrimonio, feito doença ela iludi e não quer ser iludida, irônico é saber que tudo é mentira e fingir que acredita, serão casos de ignorâncias do sentimento propriamente dito? Ah! Imaginação fértil é o que podemos imaginar e realmente sentir aquilo em que imaginamos sem a realidade a imaginação não tem forças, como imaginar algo que não deseja? É irônico não é? Saber que o coração ama o corpo pede, mas o pensar rejeita. Medo? Deve ser porque se ama e você pensa que não quer deve estar com medo de ser feliz. Muitas coisas são conseqüências dos seus próprios atos. Falo do que você consegue fazer, fazer diferente do que acha que não vai dar certo, achar que não vai dar certo não é a certeza que não acontecerá. Esquisito é tentar resolver uma coisa com o mesmo problema, ai você está persistindo no erro isso é burrice, digamos ignorância.

Por Márcio Poeta

Related Posts with Thumbnails

  © By Poesia - Todos os direitos reservados.

Tecnologia - Blogger | Modificado por - Márcio Ferreira